mais sobre mim


Segunda-feira, 13 de Agosto de 2012
O traçado do metro de Lisboa ou... Podiam ter feito algo com cabeça!

Podem ver aqui a bestialidade das linhas do metro em Lisboa!

Então alguém que sai de Santa Apolónia com destino ao aeroporto tem que ir para a baixa chiado e depois ai, escolher que linhas cruzar para ir para a linha vermelha, que é a do aeroporto! São cerca de 40 minutos entre Santa Apolónia e o aeroporto... Jurem! Isto é suposto ser uma alternativa viável a quê mesmo?

 

Depois digam que eu é que tenho mau feitio!!!! Sério...

 

O metro do aeroporto há muito que fazia falta, e acho muito importante que finalmente tenhamos conseguido ligar por carril o aeroporto à cidade, mas há coisas que são demasiado estúpidas!

 

Mais linhas senhores, mais linhas... Mais paragens, mais e melhores traçados, mais ligações! Chega de incompetência... basta de cabeças de penico a governar, quer dizer, a desgovernar a nação!

 

As linhas e estações são manifestamente insuficientes. Mas onde é que já se viu não haver metro até cascais, Oeiras, Belém... Tudo por baixo do chão? Onde é que se concebe um metro como o da margem sul? Que idiotice pegada. Então não punham o carril na via da direita, a passar por onde os carros passam, e não se evitava muito do que de mal acontece? Mais, o metro ali na margem nunca deveria passar acima do chão, mas enfim... Mais uma decisão das cabecinhas pensadoras que não pensam nada que se aproveite.

Tenho que clarificar que a ideia não era colocar o metro a circular no tabuleiro da ponte na faixa da direita... Era mesmo no centro de Almada! No tabuleiro da ponte não devem circular a não ser as viaturas que já lá passam... Não sei como alguém pensou que era isso que eu queria dizer! Deve ter sido uma cabecinha pensadora das que faz este tipo de projecto... O metro deve ficar fora da superficie do tabuleiro da ponte!

 

Mais importante que tudo isto seria o sistema de transportes estar integrado, e os preços serem realmente competitivos, bem como a relação distância/ tempo (exemplo do tempo que leva a ir de Santa Apolónia ai Aeroporto é cabal no que toca a mostrar coisas inúteis). Toda a margem sul, desde Setúbal até Lisboa, bem como a margem Norte, de Sintra (pelo menos, para não ir mais para trás ainda) a Lisboa também deveriam estar completamente ligadas por Metro! Há que perceber as soluções que o mercado pede e não as que as cabecinhas ocas engendram.

Se os transportes em Portugal estão a passar a crise que estão e, mantendo a compustura e não mencionando empresas, mas sabendo todos que as há praticamente na falência, vamos admitir que se os transportes fossem uma boa alternativa isto não acontecia e, nem um terço dos carros circulava nos habituais movimentos pendulares. O problema não é a quase falência é a infeiciência dos serviços prestados e a incapacidade de fazer as escolhas acertadas no que gera mais valia para estas empresas (a linha, carreira, via ou traçado)... Isto deveria ser óbvio não?!?!

 

Ainda hoje me pergunto o porquê de não existir uma travessia do Tejo com uma ponte entre Santa Apolónia e Cacilhas, quando se apurou que esta seria a opção que mais beneficiaria positivamente o descongestionamento do trânsito... Mas não! Só não tenho pena da ponte entre Chelas (Marvila) e a Margem Sul não ter sido feita, porque esse é mais um momento cabeça de esgoto, nem é de penico!

 

Mais uns esclarecimentos... Sim, eu sou do tempo do tulicreme, do glutão da presto e quase... Dos dinossauros que andavam pelo mundo... E dos meu mais de 30 anos de utilizadora da ponte 25 de Abril (agoro pareço uma autoridade na matéria), posso dizer o que muito bem quiser, porque as maiores filas da minha vida foram na ponte, justamento, com duas vias, com a noiva, com lombas... É mencionar...

 

Depois as pessoas que moram em santa apolónia e em todo anfiteatro oriental de Lisboa (Olivais, Beato, Graça, São Vicente de Fora) eram capazes de gostar de ter um Metro por ali, e talvez... Sendo elas tantas, que as ligasse ao aeroporto... Isto digo eu que sou alfacinha e do anfiteatro oriental... Isto só para chatear!

sinto-me: Frustrada
música: Oleta Adams - Get here
publicado por Conventodaalma às 14:16
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Maio de 2012
Gosto deste post

 

 Lisboa, a cidade das 7 colinas, das 7 dores de Maria... À beira rio plantada :)

 

 

 

 

 

A mim, que tenho Lisboa todos os dias, se me perguntarem nem sequer me engasgo; voltaria, sempre, mas sempre, para Marraquexe! Saudades...

 

E você, para onde voltaria sempre?

sinto-me: Viajante
música: Povo que Lavas no Rio - Amália Rodrigues
tags:
publicado por Conventodaalma às 15:12
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 26 de Outubro de 2010
Troço Lisboa - Poceirão

Poceirão?

Mas Poceirão por alma de quem?

Mas quem é que se lembra de criar um TGV entre Lisboa e o Poceirão?

Que sentido é que tem uma coisa destas?

Estrategicamente trata-se de um tremendo de um erro. O TGV pretende ser, como a sua denominação aponta, um comboio de alta velocidade (train à grande vitesse); comboio esse que leva um intervalo de tempo a chegar à sua "velocidade de cruzeiro", e para ir de estação em estação, e de apeadeiro em apeadeiro... Para isso, já temos o intercidades ou o regional, ambos muito bons e rápidos para a distância/ tempo que cumprem.

O TGV, para que se tire algum proveito do elevado potencial que oferece, tem que ter um traçado como Lisboa - Madrid, ou algo do género; sem paragens ao meio. Também poderá ser Porto - Madrid ou, por exemplo, Porto - Barcelona. Lisboa - Paris ou Porto - Paris... Agora, Lisboa - Palmela???? Nomeadamente Poceirão? É este o nosso troço "estratégico"? Aguardamos por o quê? Por um aeroporto?

Gozámos a realeza séculos a fio, por terem feito a primeira linha de caminhos de ferro entre Lisboa e Cascais, perfeitamente navegável... Para abanarem as jóias e verem a paisagem. Inútil e fútil... O rosto da Monarquia! Tivemos um regicídio, passamos-lhe séculos em cima... E vamos fazer um troço Lisboa - Poceirão? O Poceirão encontra-se magistralmente servido pelos intercidades ou pelo regional. Não entendo... Eu juro que não entendo. Suplanta-me!

Seremos assim tão estúpidos? Teremos evoluído assim tão pouco? A diferença entre esta República e a anterior Monarquia é que agora, quando o Palácio de Belém se abre à plebe, uma vez ao ano, em vez de termos lá sempre gente da mesma família temos o mesmo tipo de gente, mas vamos trocando de famílias????

Lisboa - Poceirão em TGV... Que patético... Então façamos Lisboa - Poceirão no intercidades ou no regional, e faça-se Poceirão - Madrid ou Barcelona, ou Paris... Ai sim, já no TGV.

Há mínimos caramba! E vejam lá se avançam com a obra de uma vez por todas, que isto sem investimento público piora a olhos vistos, de dia para dia.

 

sinto-me: Patético...
música: Train - Drops of Jupiter
publicado por Conventodaalma às 09:40
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 14 de Junho de 2010
Oh Noite de Santo António...

 

"Oh Lisboa de encantar/ De alcachofras a florir/ E foguetes a estoirar/Enquanto os bairros cantarem/ Enquanto houver arraiais/ Enquanto houver Santo António/ Lisboa não morre mais"

 

Sábias palavras as que cito acima, do tema que se chama exactamente "Noite de Santo António", da autoria de Norberto Araújo e Raúl Ferrão, eximiamente interpretado por Amália Rodrigues...

 

Depois de nos últimos anos me ter "afastado" de Alfama nesta noite, pois a confusão é o que todos os que por lá passaram já conhecem... Andei pela Bica, por Santos-o-Velho, por toda a parte, mas Alfama, meus caros, é Alfama!

A marcha sai à rua em Santos-o-Velho antes de ir para a avenida, também já por lá vi, e vai bonita, ensaiada, marca o compasso e segue... Mas quando sai em Alfama, como no último sábado, a rua pára e pára muito bem! Parece que o tempo fica suspenso no ar. Os marchantes apresentam-se lindos, afinados, alinhados, e nota-se bem o orgulho que os enche numa noite tão especial. Não há quem não os queira ver e apoiar. Merecem... Estavam francamente bonitos este ano, de amarelo branco e preto! Quando vão para a Avenida, já levam o povo com eles, na alma e no coração. Já ouviram as palmas e já sabem que sendo um bairro antigo, com história e cunho nos arraias populares, com um apoio massivo de todos, têm sempre boas possibilidades de ganhar. Não os incomoda o cheiro a sardinha nem o fumo... Importa marchar a noite inteira até ganhar! Nem sequer o gosto das sardinhas e das febras quentinhas os detém por breves instantes. Merecem bem que haja sempre muita gente para os ver!

 

No meio da confusão, depois de encontrar onde deixar a viatura quando os transportes não são opção, é começar a subir, de Santa Apolónia, onde já nas tascas em frente à estação ressoava estalada e murro pelo chão... Sobe-se até à Rua do Paraíso, e segue-se para a esquerda, e, direcção ao arraial denso, que começa logo ali. Há gente, há sardinhas, há fumo, há altifalantes roucos e alegria. A animação estende-se pelas ruas, a par da confusão. Encontrar um local para comer umas sardinhas é um feito. Não há uma mesinha, um banco livre...

Os preços este ano estavam mais racionais, se bem que havia locais e locais...

Jantámos sardinhas com salada (que tinha tirinhas de pimento) e batatas a 10€ a dose... Ou seja, 2€ cada sardinha (eram 5). Já as comemos mais caras noutros anos (2,50€) e piores. A sangria estava pouco fria, e apesar da cerveja estar mais fresca, não me convencia! Nada como vinho carrascão a martelo, com lima limão do lidl e uns pedacinhos de fruta... Muito bom mesmo! De beber e lamber os beiços por mais. Pediu-se gelo e o rapaz que nos serviu, com uma profissão diametralmente oposta a tudo o que nos pudesse vir à ideia, de uma competência de fazer referência, e que era do Porto, conseguiu arranjar uns "ice bergs" para nos colocar no jarro. Deve ter sido mais ou menos numa coisa daquele tamanho para barco, que o Titanic chocou...

Dai seguimos com destino a ver as ruas e à Sé. Invertemos sentido de marcha, pensámos em ir ao Castelo, mas acabámos por descer.

Dos santos tivemos um cheirinho, que até foi a manjerico ;), e apesar da confusão, acho que já Alfama bem pior, e o Castelo bem mais arruaceiro, já para não falar do caminho para a Sé mais cheio, mas mesmo assim quem foi a Alfama nos últimos anos achou o local mais cheio, este ano! Isto deixa-me feliz, pois acho que os bairros populares e os seus arraiais são parte da identidade de todos os alfacinhas como eu sou.

 

Foi mais uma noite bonita, com luz, arraial, som, cor, e muita animação pelas ruas da capital. Se bem que Lisboa devia ser assim todas as noites, com gente na rua e muita animação. Custa-me ver o deserto que se vive todas as restantes noites do ano. É claro que não pode haver arraial e festa todos os dias, mas movimentação de pessoas e ruas com gente a passear poderia e deveria de haver. Pena que Lisboa à noite é um dormitório vazio, para além dos pontos de diversão nocturna. Pena que a insegurança não deixe ninguém desperto para a possibilidade de "ir para a rua"! Este é um daqueles desgostos que acho que nunca vou ultrapassar cá nesta vida. Lisboa nunca vai deixar de ser uma "Bela Adormecida", e mesmo até o Bairro Alto não foge à regra excepto aos fins de semana e dias "santos"! É um desperdício de uma cidade tão antiga e tão bonita.

 

Este ano o ex-libris da noite era a pecura de menjerico da Sagres... Vai-se lá saber porquê! É mais ou menos como aquele cartaz da sardinha que comeu o gato!

 

sinto-me: Verde como sapo e manjerico...
música: Amália Rodrigues - Noite de Santo António
publicado por Conventodaalma às 11:16
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Abril de 2010
Porquê tolerância de ponto para o Papa?

 

Boa pergunta! Pois então! Para agilizar as deslocações do Papa sem trânsito e nos níveis máximos de segurança. Nada como afastar todos os arruaceiros, assassinos, valdevinos, marialvas, condenados, infelizes e infiéis que se passeiam diariamente por Lisboa com a infame intenção de irem trabalhar, essa actividade que insistem em praticar... Para receber uns míseros Euros!

O Veneno gostava de apresentar uma proposta alternativa:

Sua Santidade aterra em Figo Maduro, segue directamente para o Terreiro do Paço, que é um local bonito e serve bem para ver as vistas... Depois está um Cacilheiro, lindo, cor-de-laranja, que até pode ser centenário, todo engalanado, com florinhas brancas e tudo, só para sua Santidade. Enquanto Sua Santidade segura o míni chapéu que lhe há-de cobrir parcialmente o "alto do cocuruto" por força da necessidade causada pelo vento que há-de ir soprando, fecham o pontão a todos os transeuntes momentaneamente. Embarcam Sua Santidade, de sotaina ao vento... Que regalo! Sai na outra margem, segue no Papa Móvel até à Igreja de Cacilhas, pertinho... Pertinho, para evitar confusões... Sai mesmo à porta, reza a Missa, numa Igreja pequena e aconchegadinha... Evita a necessidade de multidões em tolerância de ponto, e pronto. A Igreja até tem um coro afinadinho, e pensando bem, com a quantidade de comunistas por ali, ainda converte alguém... Milagres e tudo! Um luxo...

Depois mete-se de volta no barquinho, segue para Lisboa, mete-se numa viatura condigna que não pareça um boneco daquele jogo, o dig-dug... E segue para Fátima, onde por ser uma terra que vive disso mesmo, da festa reliigosa... Não há problema, a multidao que pára está lá para isso mesmo... Para parar para ver passar o andor quando é preciso.

Não é um plano perfeito?

Eu sei, depois disto, o Estado vai começar a contactar o Veneno para organizar as recepções das importantes e nobre visitas que calcam o chispe no nosso país.

sinto-me: Lá que era perfeito, era...
música: Brian Adams - Please Forgive Me LOL
publicado por Conventodaalma às 14:12
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009
Novo visual

Pois é caros leitores e amigos, já não era sem tempo do nosso Puro Veneno ter o seu visual personalizado novamente; então agora que está tudo tão simples!

Confesso que não demorou cinco minutos... Mas ainda há muito a fazer. Para os mais distraídos, sim, a imagem é da maravilhosa Avenida da Liberdade, que se perdeu no tempo. Apetece mesmo dizer que é uma imagem algures, do outro lado do tempo!

A marcha do progresso por vezes, consegue ser a minha grande "dor"... Logo eu que adoro a modernidade, o imediatismo, mas quando vejo uma imagem como esta, não consigo evitar que um estranho sentimento saudosista tome conta de mim. Devíamos ter preservado bem melhor todo este património, todo este expólio arquitectónico, afinal havia muito por onde crescer, sem estragar o "coração" da cidade. Infelizmente isso não foi feito! Aceito que boa parte por inexperiência... Nunca tinhamos visto isto do progresso "antes", pelo menos que houvessemos guardado memória disso... E como tal, distraímo-nos um "bocadinho" a mais.

Eu sei que Lisboa já não era aquela cidade suja, feíssima, amarela... Da qual ninguém gostava... Já era a "brilhante" Lisboa que realça a luz natural mais bonita e única do mundo... Depois de reconstruída por ordem do Marquês do Pombal.

Espero que gostem... É também para vós!

Obrigada por continuarem a passar por aqui ;) Sempre, cada vez mais...

 

Martim Moniz ainda com a Igreja do Socorro...

sinto-me: Luz de Lisboa
música: Carlos do Carmo - Lisboa Menina e Moça
publicado por Conventodaalma às 16:06
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Junho de 2008
Desânimo geral

 

 

Pela primeira vez podemos dizer que o desânimo é geral, e se ainda não se notou mais foi por pura sorte! Então alguém se lembra de uma noite de Santo António, em Lisboa, tão parada como a de ontem?

Ha... Outros tempos! Nem consigo comparar... Que foi feito das ruas a abarrotar de gente? Das filas inacreditáveis para estacionar um carro? Das sardinhas "esgotadas"? E dos arraiais populares? Esses são foram a maior ausência... Faltava gente animada e pronta para um pezinho de dança...

Parece que estou a ver as escadinhas que davam para o largo do arraial, cheias de gente, quase impossíveis de subir ou descer, com estrangeiros altamente etilizados e incapazes de se segurarem em pé... Gente e mais gente aos montes, a tentar dançar, mas na verdade estavam num "redondel" de encontrem e pisadelas...

O calor Humanos das vielas e becos alfacinhas... Os pátios iluminados... Parece não ter sobrado nada de nada... E se tempos houve em que atravessar Alfama na sua rua principal era ser levado para onde a multidão quisesse, ontem, era ir "só" para onde se queria. No calor da noite, já a romper a madrugada, era difícil a populaça desviar-se de uma ambulância que por ali quisesse transitar... Era fugir das rodas e dos empurrões... Sempre desagradável, mas agora, há distância do tempo, parece tão diferente, que quase se vislumbra um momento bom!

Senti a falta de Lisboa, ausente dentro do seu próprio seio! Faltaram manjericos na Madragoa e até o ensardinhado cheiro. Alfama ainda ía tendo gente, apesar de lhe faltar muito do "spleen". A Avenida da Liberdade sempre foi sendo povoada pelo público das marchas e pelos convidados engravatados da "Tribuna VIP"... Os marchantes lá iam marcando o compasso, como manda a tradição, e para não contrariar, Madragoa desceu com os pés no Alcatrão. Marvila ganhou, sendo um tanto ou quanto popular, não é um dos históricos Bairros a ganhar, mas foi com a maior satisfação popular que vi a Marcha do Beato ficar em 4º lugar!

sinto-me: Onde se meteu toda a gente?
música: Carlos do Carmo - Lisboa Menina e Moça
publicado por Conventodaalma às 11:11
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 12 de Junho de 2008
Santo António de Lisboa

 

 

Não há nada que nos deixe mais felizes que um santinho popular... Além do feriado à sexta-feira que o "antoninho" nos arranjou, ainda temos aqueles "sarnentos" arraiais que todos adoramos...

Lá vamos nós há sardinha assada e aos caracóis, bem regadinhos e com a companhia da malta. Desta feita vamos andar por ai, a ver as carolices saloias uns dos outros... Entre um "tasco" e o outro, a festa vai ser rija e até de madrugada.

Pelo meio da crise, dos mal entendidos e dos problemas todos, a selecção e o "santinho" cá da malta sempre dão para enganar a razão. O arraial é mesmo saloio, por isso não nos fica nada mal aparecer por lá; estejam descansados...

Ir para casa não é opção, até porque para atinguir esse fim teria, de igual forma, que atravessar Lisboa e isso complicaria e muito a tarefa de chegar a casa. Se é para me "meter" no meio de Lisboa que seja para ir para o arraial. Sabe sempre bem "festejar", e nestes dias ninguém leva a mal, a não ser a GNR e a PSP... Não convém esquecer esses "intrusos" que gostam de mandar parar o pessoal. Quem conduz tem que evitar beber, se não já sabe que nos habilitamos a um bilhete premiado da "lotaria". Vamos lá a ser responsáveis neste "assunto", em tudo o resto podemos ser "irresponsáveis" e "foliões".

Quem quiser pode ser dar um tostão para o Santo António... Apesar da Igreja já estar reconstruída há muito... Pode ser que ele intervenha nos males de amores, e favoreça ainda mais os que não têm males de que se queixar.

Que se divirtam todas o quanto baste caros leitores e amigos!

 

sinto-me: A dar para este peditório lol
música: Cheira Bem, Cheira a Lisboa
publicado por Conventodaalma às 18:33
link do post | comentar | favorito
|
pesquisar
 
posts recentes

O traçado do metro de Lis...

Gosto deste post

Troço Lisboa - Poceirão

Oh Noite de Santo António...

Porquê tolerância de pont...

Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
18
19
20
23
24
25
26
27
28
30
31
comentários recentes
E estamos tão perto da final !! Entre França e Esp...
já vi que tens um blog para lavar a roupa suja do ...
EU QUERO CONTRIBUIR COM 15.000 LTS DE GASOLINA!! A...
Alguém que sabe o que fala! Não é não preocupando ...
Realmente, eu sou sincero, estou farto, estou fart...
subscrever feeds
tags

todas as tags